"Aquele que deseja continuamente elevar-se deve esperar um dia pela vertigem. O que é a vertigem? O medo de cair? Mas por que sentimos vertigem num mirante cercado por uma balaustrada? A vertigem não é o medo de cair, é outra coisa. E a voz do vazio embaixo de nós, que nos atrai e nos envolve, é odesejo da queda do qual logo nos defendemos aterrorizados."

Milan Kundera, A Insustentável Leveza do Ser, p. 58.

domingo, 23 de março de 2014

O miserável
com seus olhos cansados, sua boca vazia,
sua pele escura e seu cheiro de calçada,
Perguntou se deviamos ter fé... se havia um deus
se este deus tinha um lugar para gente como ele...

eu disse que sim,
eu disse que tinha certeza que sim!

eu disse que sim e dei dinheiro e abraço, e disse que sim! deus havia de preparar um lugar para gente como ele, olhei o castanho dos olhos dele e disse que sim!

ele tinha que ir embora, tinha que achar um lugar que não tivesse tantos insetos noturnos e pessoas más.

mas eu disse que sim.
pobre de mim.


Nenhum comentário:

Postar um comentário